Rua Chui 147 (Metrô Paraíso) - SP | (011) 5572-7684 / 99732-9272
09h às 22h (Seg-Sex) | Atendimento somente com horário agendado
Aceitamos cartões | Estacionamento | Acessibilidade

Massagem ajuda a reduzir a enxaqueca

enxaqueca

Massagem ajuda a reduzir a enxaqueca

Um estudo recente mostra que a massagem reduz os sintomas associados com a enxaqueca, entre eles as dores de cabeça, distúrbios do sono e aumento do nível de seratonina.

Este estudo foi conduzido pelos pesquisadores do “TouchResearch Institute at the University of Miami School” e pesquisadores da “University of Central Florida”.

Para participar desta pesquisa foram selecionados 26 adultos que apresentaram dor de cabeça crônica nos últimos 6 meses.
Eles foram divididos em 2 grupos, um grupo chamado grupo de controle e outro chamado grupo da massagem.

O grupo de controle foi informado que seu tratamento com massagem só iria começar dentro de 5 semanas e que portanto eles não receberiam nenhum tratamento até o final deste período.

O grupo da massagem foi informado que seu tratamento seria realizado a partir daquele momento e seguiria durante as próximas 5 semanas com 2 sessões por semana sendo que cada sessão teria duração de 30 minutos.

As sessões do grupo da massagem consistia em 10 minutos de uma seqüência de massagem que era repetida 3 vezes, perfazendo uma total de 30 minutos por sessão.

Os indivíduos do grupo da massagem deitavam de costas enquanto o terapeuta aplicava pressão fricção circular e massagem nos músculos da parte de trás do pescoço, seguido por:

1) movimentos circulares com os dois dedos na base do crânio.;
2)Apalpamento na base do crânio;
3)Mobilização da cabeça e pescoço enquanto se aplicava pressão com o polegar sob a fibras sub-ociptais.
4)Pressão contínua e de forma rítmica ao longo da cavidade da base do crânio.

A execução dos 4 itens acima demorava 10 minutos e era repetida 3 vezes, perfazendo 30 minutos.

Ambos os grupos preencheram o questionário do histórico médico e do histórico da dor de cabeça (Medical and Headache History Questionnaires) antes de iniciar o tratamento e também preencheram o mesmo questionário ao final do período de 5 semanas.

O questionário perguntava o tipo de dor de cabeça que a pessoa sentia (sensação de ser constante ou pulsante), grau de severidade; freqüência(em dias) e duração (em horas); local da dor de cabeça e outros sintomas relacionados tais como vômito, náusea ou aversão a luz , barulho ou odores.

Os participantes de ambos os grupos pontuaram a freqüência e intensidade de suas dores de cabeça. Carregavam um diário onde anotavam o número de horas de sono e o número de vezes que eles acordavam durante a noite além de fornecerem amostras de sua urina para medir o nível de seratonina, tanto no primeiro como no  último dia do estudo.

O grupo massageado relatou diminuição das dores de cabeça imediatamente após a primeira sessão.

Participantes do grupo massageado também reportaram, depois de 5 semanas de tratamento, um diminuição na pontuação geral da dor de cabeça (Global Headache Score), significando que eles tiveram mais dias livres de dor e um número menor de dias com dor de cabeça moderada.

Este grupo também relatou dormir mais e levantar menos vezes durante a noite além da diminuição da ansiedade.
Um aumento no nível de seratonina (um vaso constritor) foi observado da maneira  geral.

Por outro lado o grupo de controle, o qual não recebeu massagem, não mostrou mudanças significativas na sua pontuação geral da dor de cabeça (Global Headache Score), padrão de dormir ou nível de seratonina.

Conclusão: De acordo com os pesquisadores,

“A redução na dor de cabeça pode ter ocorrido pelo aumento das horas de sono e o menor número de vezes que se acordava durante a noite ou então a diminuição na dor de cabeça pode ter sido resultado da melhoria do sono.”

Os pesquisadores concluíram, baseados em outros estudos, que a terapia da massagem foi responsável tanto pela melhoria do sono com pela diminuição das dores de cabeça.

Fonte: Touch Research Institute – Research originally published in Intern J.Neuroscience, 1998, Vol 96, pp. 1-11.

Author Info

AdminPontozen

No Comments

Comments are closed.